terça-feira, 6 de dezembro de 2016

ALBA: Baía de Todos os Santos é debatida em Audiência Pública


A situação socioambiental da Baía de Todos Santos, bem como a necessidade de um Plano de Gestão Integrada, foi debatida nesta segunda-feira (5), na Assembleia Legislativa, pela Frente Parlamentar Ambientalista da Bahia, em audiência pública coordenada pelo deputado Marcelino Galo (PT). O evento reuniu funcionários e representantes do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado da Bahia (Inema), de movimentos sociais, ambientais e da sociedade civil, além de professores de Universidades, como da UFBA, e o secretário de Turismo do Estado, José Alves Peixoto. 
“As questões cruciais relativas ao meio ambiente, ao desenvolvimento urbano sustentável, que garanta a preservação da Baía de Todos os Santos, de toda sua riqueza marinha, e também das populações em seu entorno, foram discutidas com a participação qualificada de especialistas e representantes da sociedade civil organizada”, afirmou Galo, surpreso com os estudos apresentados que apontam para a contaminação do ar, da população e dos recursos marinhos, respectivamente, por manganês e chumbos. “É preciso trabalhar, de maneira integrada, envolvendo diversos atores da sociedade e do Estado, no sentido de garantir a conservação desse importante patrimônio que é a Baía de Todos os Santos, mas também a preservação da saúde das pessoas que habitam seu entorno”, ressalta o parlamentar.  
Pesquisas desenvolvidas na Universidade Federal da Bahia apontam que nas áreas mais industrializadas da Baía de Todos os Santos, ou próximas delas, como no Porto de Aratu e na Ilha de Maré, há maior concentração de metais. “Os peixes e frutos do mar nessa região estão mais contaminados com grande variabilidade das concentrações de chumbo”, observou Neuza Miranda, professora da Escola de Nutrição da Universidade Federal da Bahia, que em 2013 recebeu um prêmio no Congresso Brasileiro de Toxicologia em reconhecimento ao seu estudo sobre a contaminação das crianças de Ilha de Maré por altos níveis de chumbo e cádmio, oriundo das indústrias do entorno da Baía de Todos os Santos. “Não adianta ter uma Unidade de Conservação sem o Plano de Manejo. O que adianta ter a Unidade de Conservação sem o Zoneamento Ecológico e Econômico que diga o que pode e o que não pode? É preciso analisar o efeito e os impactos cumulativos das medidas que agridem a Baía de Todos os Santos”, criticou Carlos Mascarenhas, coordenador do Grupo Ambientalista Germen. 
No debate também foi apontado desde a ausência do saneamento básico à coleta irregular do lixo como agravantes para a contaminação das Ilhas na Baía. Para o secretário de Turismo do Estado, José Alves Peixoto, a situação preocupa, visto que o potencial turístico do local, para existir na prática, garantindo benefícios às comunidades tradicionais, depende de sua preservação. “A reflexão proposta aqui é bastante pertinente, visto que a preservação da Baía é fundamental para fortalecermos o turismo em nosso estado”, pontuou Peixoto, que apresentou o Plano Estratégico do Turismo Náutico da Baía de Todos os Santos e se colocou à disposição para cooperar com os avanços da discussão.

Foto divulgação / Daniel Ferreira
Assessoria de Imprensa



segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Município de Castro Alves assina Pacto Nacional pelo Enfrentamento à Violência contra a Mulher


A cidade de Castro Alves, localizada a 192 Km de Salvador, assinou ontem (30), o Pacto Nacional pelo Enfrentamento à Violência Contra a Mulher. A solenidade aconteceu no Salão do Júri do Fórum Desembargador Cloves Leone.

A assinatura do documento, que tem como objetivo dar o primeiro passo no processo de formação e fortalecimento da Rede de Atenção às mulheres no município, foi realizada através de uma iniciativa da Secretaria Estadual de Políticas para as Mulheres da Bahia (SPM-BA), e fez parte da programação da Campanha dos 21 dias de Ativismo pelo Fim da Violência com as Mulheres na Bahia.

Estiverem presentes: a Juíza de Direito da Comarca de Castro Alves, Louise Gomes; a Promotora de Justiça, Mirella Brito; a Desembargadora do Tribunal de Justiça da Bahia, Nágila Brito; a Coordenadora de Ações Temáticas da SPM-BA, Jucinalva Peruna, que na ocasião representou a Secretária Estadual de Políticas para as Mulheres da Bahia, Olívia Santana; a Delegada da cidade, Aline Freitas; o candidato eleito a Prefeitura de Castro Alves, Thiancle Araújo; Luciana Barbosa, representando o Prefeito em mandato; o Comandante da 27ª Companhia Independente da Polícia Militar, Major Márcio Amorim; e a advogada e servidora da SPM-BA, Flora Pereira.

Em momento de fala, a Coordenadora da SPM-BA, Jucinalva Peruna, ressaltou a importância da adesão dos municípios da Bahia, pois, segundo ela, quando uma cidade baiana adere ao Pacto, ela está afirmando sua participação na luta contra as violências de gênero, raça, ou qualquer outro tipo de violação aos direitos humanos. A gestora ainda destacou que essa afirmação é também um sim para a autonomia das mulheres, que é um dos eixos previsto no Pacto e está vinculado ao encerramento do ciclo de violência.




Assessoria de Comunicação
Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM-BA)


sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Assembleia Legislativa homenageia 63 dos Alcoólicos Anônimos na Bahia


A Assembleia Legislativa da Bahia homenageou, nesta sexta-feira (2), em sessão especial proposta pelo deputado Marcelino Galo (PT), o grupo “Alcoólicos Anônimos” pelos 63 anos de serviços prestados ao estado, 88 no Brasil. Galo ressaltou que milhares de vidas e famílias foram restauradas nesses 63 anos de AA na Bahia, e que a solidariedade é um traço marcante da história da instituição.
“Os Alcoólicos Anônimos são um patrimônio da solidariedade humana. Eles humanizaram, de fato, o tratamento das pessoas que se ajudam em comunhão, pois perceberam que a bebida havia se convertido em um problema que não podiam controlar sozinhos”, frisou o parlamentar, que destacou a solidariedade como uma das maiores qualidades do ser humano, um compromisso da AA com a humanidade. “De forma solidária essas pessoas se ajudam mutuamente a se manterem sóbrios, lutando contra um vício estimulado socialmente em nossa sociedade de consumo. Superando, de mãos dadas, uma doença que pode ser detida”.
Alcoólicos Anônimos é uma irmandade de homens e mulheres que compartilham suas experiências, forças e esperanças, com o objetivo de resolver seu problema comum e ajudar outros a se recuperarem do alcoolismo. O único requisito para tornar-se membro é o desejo de parar de beber.
A irmandade surgiu nos Estados Unidos, em 1935, quando um corretor da Bolsa de Valores de Nova Iorque e um cirurgião da cidade de Ohio, ambos com alcoolismo, decidiram criar um grupo de ajuda para apoiar pessoas que, como eles, passavam pelo mesmo dilema e busca de manter a sobriedade. Os Alcoólicos Anônimos chegaram ao Brasil entre 1946 e 1947.
Foto divulgação / Daniel Ferreira
Assessoria de Imprensa


quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Nota sobre lealdade de Carlos a Brasileiro e sua candidatura a presidência da Câmara


NOTA PUBLICA: Vimos por meio desta informar a toda sociedade Bonfinense e aos Senhores Vereadores eleitos, que o nosso candidato à Presidente a Câmara Municipal de Senhor do Bonfim Carlos de Tijuacu sempre foi e é parceiro do Prefeito eleito Carlos Brasileiro. O seu Distrito Tijuacu mostrou isso nas urnas, bem como toda cidade. As campanhas de C.Tijuacu e C.Brasileiro foram 100% casadas. Desde 2001 que Carlos de Tijuacu é aliado Fiel de Carlos Brasileiro. Nestes 16 anos de parceria o Negao ja foi Assessor de gabinete nos mandatos anteriores de C.Brasileiro, foi Administrador do Distrito de Tijuacu e Secretário Parlamentar na Assembleia Legislativa da Bahia no gabinete de C.Brasileiro quando o mesmo foi Deputado. Até hoje, onde o Negao chega todo mundo pergunta: “Brasileiro está por perto”? O que estamos percebendo agora, na disputa à presidência da Câmara, são pessoas querendo jogar o Negao contra seu amigo e aliado político Carlos Brasileiro. A opção de voto dos vereadores da oposição deve ser vista como natural, se eles optam por votar no Negao isso é positivo, uma vez que o Presidente pode exercerBrasileir um papel conciliador entre os poderes, situação e oposição na câmara, uma vez que os poderes são independentes. O PRB pede ao Prefeito eleito Carlos Brasileiro que deixe os Senhores Vereadores resolvermos as questões da Câmara assim como os vereadores eleitos não estão interferindo nas escolhas de secretários, pelo contrário, estão deixando e até mesmo elogiando as escolhas do novo secretariado do prefeito, que com certeza farão um bom trabalho a frente das suas pastas, ajudando Carlos Brasileiro trazer dias melhores para nossa cidade. O vice Prefeito Zé Antônio iniciou na política ao lado de C. Brasileiro e o abandonou, se dedicando a cidade de Jaguarari, voltou a Bonfim agora, caiu de paraquedas no poder após ser eleito Presidente da Câmara com votos da oposição e porque agora essa descriminação com o Negao? Com certeza Carlos de Tijuacu fará um excelente trabalho a frente da câmara de vereadores e ajudará o prefeito Carlos Brasileiro como conciliador e não como traidor. Saudações Republicanas: Assina, Pastor Célia Rodrigues – Presidente do Partido República Brasileiro em Sr. Bonfim- PRB 10
[02:00, 1/12/2016] V Carlos Tijua: Com a manchete: CARLOS DE TIJUACU CONTINUA ALIADO DE CARLOS BRASILEIRO.

terça-feira, 29 de novembro de 2016

ESPIRITISMO- RESGATES COLETIVOS

Luiz Bamberg

Em tempos remotos, que às vezes a história registra, tomamos conhecimento de massacres, atrocidades mil, cometidas contra uma aldeia, uma pequena cidade, povoado etc. Muito comum na Antiguidade, em que as guerras eram o esporte preferido dos homens.
Aldeias eram incendiadas, e seus habitantes dizimados pelo fogo, eram incinerados pelos adversários com sede de poder e de conquistas, pilhagens, etc.
Parece que tudo isso ficou impune, desculpas culturais, atraso intelectual dos homens da época, que achavam isso normal e digno de glórias.
Onde fica a justiça Divina? Já que a dos homens não se fez para com aquelas 200 pessoas que foram incineradas em determinada Aldeia?
Embasado nos ensinamentos dos espíritos, na questão 621 do Livro dos Espíritos. Em que Allan Kardec faz a pergunta aos espíritos Superiores: “Onde está escrito a Lei de Deus”? E a resposta é a mais rápida das 1028 constantes no livro: “Na Consciência”.
Esses espíritos que outrora encarnados (Pessoas) participaram dessa incineração, trazem a culpa guardada na consciência em forma de arrependimentos tardios. O que causa desordens patológicas e o surgimento em conseqüências de: tumores, cânceres, desequilíbrios vários, com o surgimento na pele de vitiligos ou outras que demonstram a culpa da incineração ou da morte de alguém por queimaduras e que lesionaram o perispírito (corpo do espírito) quer seja da vítima, quer seja dos culpados que sofrem a cobrança da consciência e da Lei de Causa e efeito.
Esses espíritos de outrora que participaram da incineração das 200 pessoas da aldeia referida como exemplo, após várias reencarnações (existências) que levam aí séculos. Começam a pedir para resgatarem o crime da incineração.
Pois, “Só se pode alçar aos céus, estando quites com o inferno da consciência (onde está escrito a lei de Deus)”.
Em determinada época, são esperados que todos os envolvidos no comum resgate a ser efetuado, estejam no mundo espiritual. Só aí então, um plano é traçado para que haja esse resgate coletivo. Pois as leis que regem o Universo, a inteligência suprema, a causa primeira de todas as coisas, que não usa barba e nem está sentado em um trono com um cetro na mão (DEUS ?), essa força e essas leis permitem que chegue a hora de terem a oportunidade de se libertarem do hediondo crime de outrora e que os impedem de alçar vôos mais altos. Como disse Jesus Cristo: “Nenhuma folha cai de uma árvore sem o consentimento do Pai” (Evangelho Segundo o Espiritismo).
Finalmente, esses espíritos vão reencarnando (Nascendo) para uma nova existência, cada um com seu carma, e, dentre os planos individuais da nova existência, está um de ordem coletiva (Desencarnar junto com os que participaram do crime de outrora, da incineração das 200 pessoas exemplificadas).
Finalmente chega o dia e a hora do resgate coletivo. Um edifício como o do Joelma incendeia e mata pelo fogo as duzentas pessoas do resgate. Ou um avião que perde o controle e que em vão se tenta acharem culpados: Teria sido falha no computador que pilota o avião? Na pista molhada do aeroporto que nas mesmas condições proporcionou milhares de pousos e decolagens anteriores? O Fato é que o avião passa da pista e vai de encontro ao Galpão de bagagens da própria Companhia, onde talvez lá estejam os que de forma indireta ou os que foram mandantes no passado, estavam. Alguém que foi chamado na época e na última hora desistiu de participar, agora, perde o vôo no último instante por atraso no trânsito? E aqueles que estavam presentes, mas não participaram , limitando-se a assistirem sem nada fazerem ou sem poder fazer nada? Agora assistem à cena do resgate e são poupados pela lei de ação e reação que não encontrou uma maior participação neles. Quanto aos envolvidos no passado, aí sim, cumpriu-se o resgate coletivo, ou seja: Todos foram incinerados pelo fogo do acidente aéreo.
Ainda as leis que regem o Universo (DEUS?) aproveitam para corrigir outros erros que impedem o progresso do planeta Terra. Embasado nos ensinamentos dos espíritos que dizem: “O Mal, nem sempre é um mal, é que só pensamos em nós mesmos e no momento que passamos”.
As Estatísticas dizem que por ano, morrem nas estradas do Brasil, cerca de 40 mil pessoas, vítimas de acidentes automobilísticos. O equivalente a cerca de 180 acidentes como o do avião citado. No entanto, a repercussão nem de perto chega ao do referido avião que conduzia passageiros VIP`s (Passageiros comerciais importantes).Essa repercussão, chama à atenção para a malha Aeroviária que estava um caos e que já havia dizimado inúmeras vítimas em acidentes de pequenas proporções que não incomodava a opinião pública.
Como me disse uma vez certo espírito pessoalmente: “A Desordem total, por vezes se faz necessária para que haja um completo restabelecimento da ordem”. Com isso todos os estudos daqui pra frente serão feitos para que haja um avanço no progresso do transporte aéreo, e novas descobertas tecnológicas surgirão a passos largos. (Para refletirem...)
Nota: As 200 pessoas a que me refiro, são os envolvidos, os culpados e não as vítimas. Essas o nº. pode ser menor ou maior. Quanto ao Galpão de bagagens, pode simbolizar para as consciências culpadas dos envolvidos, o lugar onde se armazenava os valores das pilhagens.
Por,
Luiz Bamberg
Autor da "Pedagogia do Espiritismo"
Monografia Inédita registrada na
Universidade do Estado da Bahia- Uneb-Campus VII


Base Móvel de Policiamento Comunitário


Desde 21nov16, o Sexto Batalhão de Policia Militar, com sede em Senhor do Bonfim, passou a contar com a primeira Base Móvel de Policiamento Comunitário da região.

A vinda dessa viatura especial é resultado dos esforços empreendidos pelo comandante do Sexto Batalhão, Ten Cel PM José Carlos Soares Mariano, visando à operacionalização da estratégia que proporciona uma parceria entre polícia e população, para tanto, a Base Móvel se constitui em uma ferramenta que proporcionará uma maior interação entre a Polícia Militar e a Comunidade.

A Base Móvel de Policiamento Comunitário tem por objetivo promover a convivência pacifica em localidades identificadas como críticas ou estratégicas, provendo segurança com foco na prevenção, além disso, visa melhorar a integração da Polícia Militar com a Comunidade, uma vez que, afora prestar serviço de policiamento comunitário, visa também, ser um ponto para atendimento do cidadão.

A aplicação da Base Móvel, também se dará em eventos especiais, como por exemplo, nos festejos de São João, visto que, dispõem de uma estrutura e equipamentos que proporcionaram uma maior eficiência ao policiamento.

Senhor do Bonfim, 29 de novembro de 2016.
 -------- 
Polícia Militar da Bahia 
6º Batalhão de Polícia Militar
Seção de Comunicação Social


Edição Especial do Projeto ‘Quem Ama Abraça’ debate Cultura do Estupro




Encontro fez parte da programação da Campanha dos 21 dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres na Bahia.


Aconteceu na manhã desta segunda-feira (28), uma edição especial do projeto “Quem Ama Abraça”, que reuniu alunos e professores da Escola Estadual Barros Barreto, localizada no bairro de Paripe, em Salvador.

O encontro, que faz parte da programação de atividades dos 21 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, contou com a participação da Secretária Estadual de Políticas para as Mulheres da Bahia, Olívia Santana. Na ocasião, a gestora abordou o tema “Cultura do Estupro” e tratou de outras formas da violência enfrentadas por mulheres e meninas.

Olívia teve a oportunidade de interagir com os alunos e professores, que durante o descontraído bate-papo puderam opinar sobre o tema e sobre outros assuntos também apresentados pela secretária, como: racismo e discriminações sofridas por jovens da periferia.

Compartilhando sua própria história, a secretária aproveitou o momento para aconselhar os jovens: "É preciso que vocês escrevam um plano de vida. Caso contrário, esse plano será escrito pela sociedade, e não será nada bacana. Eu nasci na invasão de Ondina, morei em palafita. Minha mãe foi doméstica e eu resolvi que queria outra realidade para minha vida.", contou em fala emocionada.

Os alunos são incentivados a discutir os temas de relações de gênero e de enfrentamento à violência contra as mulheres durante todo o ano letivo, em prol de uma sociedade de paz, esperança e com direitos iguais para mulheres e homens.

Na Bahia, o projeto é realizado pela SPM-BA e a SEC, junto à Comissão dos Direitos da Mulher da Assembleia Legislativa da Bahia, e faz parte das ações do Pacto de Enfrentamento à Violência contra a Mulher, coordenado pela Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres do Governo Federal.


Mais fotos - http://bit.ly/2fFjBS3



Assessoria de Comunicação
Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM-BA)